Labirinto

Peça Teatral

Um homem se apresenta como o maior engenheiro que já viveu, e se rebatizou como Capaz. Ele redesenhou o esquema da cidade à sua volta, como se as pessoas e tudo que há nela, fossem peças de um mecanismo detalhadíssimo, conectado por pistas que ele diz ter deixado aqui e ali.

O engenheiro Capaz.

Tudo isto para produzir, como resultado, uma pessoa. Que entrará pela porta a qualquer momento. Para essa pessoa, que ele sabe exatamente quem é, há um doce como prêmio. Envenenado.

Esse monólogo é projetado exclusivamente para retratar a época de ódio que vivemos, onde cada um aparentemente se vê como um protagonista de uma incrível história, prestes a derrubar com o último argumento qualquer incauto que cair em sua rede de desdenhos e muxoxos.

Busca a auto-afirmação através dessa fase, uma redenção do humano que vive esse tempo turbulento de fake news e outras dores.

Aqui seguem algumas artes conceito para este projeto.